© 2017 Dra. Maria Luiza todos os direitos reservados. Criado por Social Master.

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • Blogger - White Circle

Localização:

RuaRua Bandeira Paulista, 530, sala 43
04532-001 - Itaim Bibi, São Paulo - SP

 

11-3071-2977
11-95604-6875

Cirrose hepática

Sintomas:

-Sintomas gerais (náuseas e vômitos, perda de peso, dor abdominal)

-Icterícia (pele e olhos amarelados)

-Ascite (presença de líquido na cavidade abdominal)

-Sangramento digestivo (varizes de esôfago)

Em estágios iniciais, a maioria dos pacientes com cirrose hepática é assintomática.

 

Diagnóstico:

Deve ser realizado através do quadro clínico do paciente, exames laboratoriais de função hepática, exames de imagem (ultrassom, tomografia), endoscopia digestiva alta (para visualização de varizes de esôfago). O exame padrão ouro para diagnóstico de cirrose hepática é a biópsia de fígado, que mostra a fibrose pela análise histopatológica. Mas na maioria das vezes ela não é necessária, só em alguns casos onde há duvida da causa base da cirrose.

Mais recentemente temos disponíveis exames não invasivos para avaliação de fibrose hepática como a elastometria transitória (que mede a dureza do tecido hepático por meio da velocidade de ondas de ultrassom, quanto mais rápida for a onda, mais duro e fibrótico é o tecido).

Tratamento:

A cirrose é um processo irreversível, o tratamento se resume ao controle das complicações (ascite, encefalopatia hepática, sangramento digestivo) e tratamento da causa de base.

O único tratamento definitivo para a cirrose em si é o transplante hepático, ficando reservado para os casos mais avançados da doença ou de câncer de fígado (hepatocarcinoma).

A cirrose é uma doença crônica do fígado a qual se caracteriza por fibrose (tecido cicatricial que se forma após intenso processo inflamatório, infeccioso ou isquêmico) e formação de nódulos.

 

A cirrose impede que o sangue passe de forma adequada pelo fígado, prejudicando dessa forma seu funcionamento.

A cirrose é mais comum em homens acima dos 45 anos, e o abuso de álcool ainda continua sendo sua principal causa, seguido de perto pela infecção pelo vírus da hepatite C.

Causas:

-Abuso de álcool

-Hepatites virais crônicas (B e C)

-Hepatite medicamentosa

-Hemocromatose (doença por acúmulo de ferro)

-Causas autoimunes (hepatite autoimune, cirrose biliar primária, colangite esclerosante)

-Doença hepática gordurosa não alcoólica

Saiba Mais >